Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


A censura carnal

por Blogs Zé Consciência, em 19.06.13



O sexo é uma coisa boa, não é?

Supostamente é uma fonte de prazer, uma união amorosa, o auge do desejo. Basicamente, é divertido.

Então porque é que é tão censurado?

Por exemplo, no Youtube, um video que mostre nudez explícita ou um casal a ter relações sexuais, é retirado quase de imediato.

Temos sempre muito medo de mencionar o que são relações sexuais às crianças.

Dizemos que os bebés vêm das pobres cegonhas, que se fartam de trabalhar para entregar crianças em todo o mundo... um pouco como o Pai Natal.

Dizemos que o pai mete uma semente na barriga da mãe, o que não só é uma visão um bocado perturbadora, como engana as crianças, fazendo-as acreditar que somos um ser vegetal.

Porque não dizer às crianças uma coisa que é real e amorosa ao mesmo tempo? 

"Filho, os bebés nascem quando um casal faz amor."

É assim tão complicado?!

Eu lembro-me de ser criança e, apesar da idade que tinha, lembro-me de estar apaixonado. Sabia o que era o amor, a atração por alguém, como uma força que nos puxa e controla as nossas ações. Ficamos frágeis e fortes ao mesmo tempo. E sentia isso com 6 anos.

Amar não é uma coisa só de adultos.

Vamos pensar agora nos filmes pornográficos, que são basicamente filmes amadores de orçamento baixo com uma história primária, focado em imagens de pessoas a fazerem sexo explícito.

Isto não é o mundo da Floribela ou dos Teletubies.

As crianças na pré-adolescência vêem pornografia.

Porquê?

Porque é proibido! Podem ter a certeza de que não é pela mesma razões que os adultos vêem.

Mas agora vamos pensar noutra coisa...

O Youtube permite que se mostrem videos com violência explícita, desde que a pessoa abra uma conta que comprove que tem acima de 18 anos.

Ou seja, as pessoas acima de 18 anos podem assistir a vídeos violentos, mas não podem ver maminhas e rabos.

Compreendem onde quero chegar?

Isto serve de alguma coisa?

Em primeiro lugar, certamente que muitas crianças dizem na Internet que têm acima de 18 anos, para terem acesso a vídeos violentos (ou pornográficos).

Todos podemos ver violência explícita, mas sexo não! Que horror!

Isto é hipócrito, porque o sexo é uma das necessidades básicas da existência do ser humano (e não só!), mas esmurrar e atropelar pessoas já não é!

Depois usam o argumento da religião...

Se Deus não quisesse que fizéssemos amor, não nos tornava seres sexuados e não nos dava o dom do "desejo".

Não estou a dizer que as crianças devem ver pornografia e ter relações sexuais com quem quiserem, mas digo que há certos tipos de censura que são exagerados.

Há crianças que vivem e crescem num ambiente onde a sexualidade é um ato terrível, onde só se pode fazer amor depois do casamento (tema que deixo para outro post) e só para ter filhos. Ou seja, têm de passar o resto da vida a mentir, negando impulsos e desejos naturais. Isto sim, é prejudicial ao corpo.

Por alguma razão existe a Educação Sexual, que permite informar e educar os jovens pré-adolescentes neste ramo.

As crianças não devem viver numa mentira. E se perguntarem o que é "fazer amor", digam simplesmente que o homem mete o pirilau no pipi da mulher e, poderão verificar que a criança não fica com interesse em fazer sexo com toda a gente. Apenas dirá "BELHEEEEEC!!"

 

Fonte da imagem, clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:10


2 comentários

De Inês - Desenhos e Desenhos a 20.06.2013 às 14:05

Acho importante não banalizar o sexo, deve ter algum tipo de censura.
As crianças não precisam de saber de onde os bebés aparecem, há uma altura certa para tudo. Acho que não faz sentido uma criança que ainda acredita no pai natal, saber o que é fazer amor (concordo com a história da sementinha, quando a criança crescer mais um pouco aí sim deve ser explicado). E afinal de contas... para quê que uma criança tem de saber o que é o sexo? Acho que ainda não tem maturidade suficiente para isso.
Acredito que o amor é uma coisa que as crianças não entendem. Calma! Podem sentir amor pelos, pais, irmãos, etc... mas o amor de namorar... isso não.
É preciso maturidade para saber o que é o amor e estar apaixonado. Também me lembro de gostar de um rapaz ao outro (geralmente o que eu achava mais giro). Mas com o tempo crescemos, ganhamos maturidade e responsabilidade, e sei que no que se refere ao "departamento do amor" isso também amadureceu... não vejo o amor da mesma forma que via quando eu gostava do rapazinho lá da primária (e ainda bem! sinal que cresci e amadureci).
Há imagens que devem ser censuradas. É importante não banalizar o corpo da mulher (e claro o do homem) deve ser respeitado e não visto como apenas um objecto sexual e de prazer. Deve haver um mínimo de bom censo.
O acesso à pornografia não deve ser totalmente livre. Nem concordo com algum tipo de anúncios que passa na televisão, acho que há sítios apropriados para tudo.
A educação sexual é dada por pessoas competentes e de maneira apropriada a cada faixa etária.
Acredito que as crianças não precisam de saber o que os pais fazem no quarto. Vão saber para quê? Não os torna mais felizes. As crianças não têm ainda maturidade para entender o que isso é e vê-lo com olhos saudáveis.
Se eles acham "BELHEEEEEC!!" é porque ainda não têm maturidade para ouvi-lo, logo não precisam de o saber.
Eu não tenho filhos, mas se um dia os tiver, há coisas que vou sem dúvida censurar e limitar. Afinal de contas, são apenas crianças.

De Blogs Zé Consciência a 20.06.2013 às 14:23

Eu não disse que concordava com a pornografia livre, nem que as crianças devem ver pornografia.
Mas falo dos "dramas" que se criam e torno deste tema.
Ver maminhas e gostar de as ver não é objetivar o corpo da mulher, mas sim admirar algo que é belo.
Mas apesar de tudo compreendo e respeito o teu ponto de vista. :)

Comentar post



No final do dia, sobra sempre uma ideia para conversar e refletir. Zé Consciência

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Comprem aqui o álbum Mar (Hino À Esperança) EP


calendário

Junho 2013

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Crónicas Videojogos