Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A verdade da greve

por Blogs Zé Consciência, em 17.06.13



Estive a pensar no significado de se fazer greve.

Quando era mais novo, lembro-me dos meus pais trabalharem sempre muito (infelizmente, ainda hoje acontece isso).

Por vezes estranhava estarem em casa, facto esse que me era explicado com um simples "fez-se greve no trabalho".

Ora, sendo eu pequeno, acreditei durante algum tempo que fazer greve significava simplesmente não trabalhar, o que para mim era bom, tendo em conta que podia passar mais tempo com os meus pais.

Mas com o passar do tempo, fui-me apercebendo do que era realmente a greve.

A greve é um amuo!

A sério!

Não acreditam em mim? Então passo a explicar.

O que é a greve?

Demonstração de descontentamento... Também o amuo!

Abdicar de algo como forma de chamar a atenção para um estado emocional negativo... Também o amuo!

Deixar de realizar uma atividade, procurando provar que somos essenciais... Mais uma vez, o amuo é assim.

Basicamente, fazer greve é a mesma coisa que amuar.

Vamos pensar em casos específicos.

Temos aqui um exemplo de uma namorada a amuar com o seu parceiro.

Ela: "Vai pela direita." 

Ele: "Mas olha que pela esquerda é mais rápido"

*vira à esquerda*

Ela: "Porque é que viraste à esquerda?! Eu disse que à direita era melhor! Nunca fazes o que eu digo!"

Ele: "Mas não vês que por aqui é muito mais rápido? Olha, já chegámos!"
Ela: "Hoje à noite não vais ter sorte nenhuma..."
 

Agora vamos pensar num exemplo duma greve...

"Fartamo-nos de trabalhar! Temos mais horas de trabalho e menos dinheiro! Temos horas extraordinárias não remuneradas! Descontam-nos os ordenados e não nos dão subsídios de férias! Não respeitam o nosso trabalho e a nossa função na comunidade!
Por isso tudo, não trabalho durante uma semana!"

É a mesma coisa!

E da mesma forma que um amuo não leva a lado nenhum, eu não me lembro duma greve mudar fosse o que fosse.

Esperem... Afinal mudou!...

Lembro-me quando os camionistas fizeram greve.

Deixámos de ter gasolina, até a mesma terminar.

Ah! E as greves dos transportes públicos, que mais parecem feriados combinados, que resulta na impossibilidade de muita gente se deslocar.

De resto, nada mais mudou... Tal e qual um amuo.

Não estou a dizer que as pessoas não têm direito de demonstrar o seu descontentamento. Há imensas razões para existirem!

Mas abdicar do nosso trabalho não vai mudar nada, a não ser o nosso próprio trabalho.

Se os médicos fazem greve, os doentes não são tratados. Se os professores fazem greve, os alunos não recebem educação, cultura e formação. Se os camionistas fazem greve, as mercadorias e os materiais não são distribuidos. Se os motoristas fazem greve, muita gente fica impossibilitada de se deslocar.

Entendem? Fazer greve não muda nada. Não vai fazer com que os nossos governadores mudem de ideias. Nunca vi um líder dum país a ceder a uma greve.

Mas já vi uma comunidade inteira a ficar prejudicada, porque um conjunto de profissionais deixou de ir trabalhar, por estarem descontentes (tal como o rapaz da história que contei anteriormente... coitado!...).

Mais uma vez, antes que me ganhem ódio, volto a dizer que não estou a criticar as razões porque fazem greve, apenas estou a constatar um facto. Fazer greve é, em todos os aspetos, a mesma coisa que amuar.


Fonte da imagem, clique aqui.

Menina

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:07


No final do dia, sobra sempre uma ideia para conversar e refletir. Zé Consciência

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Comprem aqui o álbum Mar (Hino À Esperança) EP


calendário

Junho 2013

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Crónicas Videojogos