Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A razão do coração

por Blogs Zé Consciência, em 16.07.13

 

Quantas e quantas vezes ouviram alguém dizer, "estou triste, mas não sei porquê".

Algumas pessoas consideram isso uma resposta válida, como sendo possível sentirmo-nos tristes sem qualquer razão.

Outras obrigam a pessoa a pesquisar o seu interior, até conseguir justificar a sua tristeza.

Bem, como este blog é MEU! tenciono dar a MINHA! opinião.

Considero as duas hipóteses corretas... CALMA! Deixem-me explicar, porque justificar é uma arte!

Vamos pensar bem... Ninguém fica triste do nada. Por muito fisiológico que seja a sensação de peso no canal lacrimal, acompanhada duma apatia face à vida, há sempre uma razão. Podemos não saber, mas o nosso corpo sabe!

Ninguém fica triste do nada. Há um pensamento, uma memória, uma situação, uma conversa, um relacionamento, uma doença, um medo, uma insegurança... Há algo externo, que nos deixa assim por dentro.

No entanto, há igualmente inúmeras razões para a pessoa não conseguir encontrar palavras que descrevam a sua tristeza (mesmo que as mesmas existam!).

Não quero baralhar os meus caros leitores, por isso vou sintetizar.

As pessoas estão tristes, mas não querem dizer porquê.

Já disse uma vez que somos seres sociais. Vivemos tanto para nós como para os outros. E muitas vezes quando pensamos, também o fazemos tendo em conta os outros. Já é um ato automático.

Assim, quando estamos trsites podemos pensar "não quero falar disto a ninguém" ou então "são tantas coisas que nem sei enumerar" ou ainda "vão achar a razão estúpida ".

O nosso corpo não tem medo de ser julgado. Ele é o mesmo desde que se formou até eventualmente morrer. Quando é adulto, é o mesmo bebé com mais camadas em cima.

O nosso corpo pode, por isso mesmo, sentir-se triste por coisas tão simples como "sinto-me sozinho" mesmo que a mente lhe diga "mas tu não tens razões para te sentires sozinho" e a sociedade diga "pensa nas pessoas que vivem sozinhas".

O corpo não quer saber disso. Não lhe interessa. Ele sente-se sozinho e transmite essa mensagem.

A pessoa sente-se triste e diz "estou triste". Quando lhe perguntam porquê, lá começa o cérebro a inventar, até dizer "não sei" ou "por nada, estou simplesmente triste".

É falso, mas ao mesmo tempo aceitável. Por mais sociais que sejamos, há coisas impossíveis de partilhar.

Como disse, nós podemos genuinamente não saber, mas o nosso corpo sabe!

 

Fonte da imagem, clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:49


No final do dia, sobra sempre uma ideia para conversar e refletir. Zé Consciência

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Comprem aqui o álbum Mar (Hino À Esperança) EP


calendário

Julho 2013

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Crónicas Videojogos