Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Poema: Indefinido

por Blogs Zé Consciência, em 05.10.13

 

Esta é a letra duma música que compus há pouco tempo.

A música transmite um ambiente pesado e triste. Como um grito de desespero sem definição.

A letra procura reforçar essa emoção através das palavras.

É uma letra triste, mas não deixa de ser arte por isso!

Assim sendo, espero que gostem. 

------------------------------------------------------------------------------------------


Imagino se o vento fosse um mensageiro,

Tudo era mais claro, sem borrões e sem dinheiro.

As mensagens eram frases espalhadas pelo ar,

folhas soltas, caídas, sem destino, perdidas.

Imagino como seria o céu

se pudesse esticar a mão e agarrar um sonho teu.

Seria fácil de te ver, sem ter de imaginar

Fosse um sorriso ou um olhar.

 

Por isso vivo perdido,

Sem espaço, sem tempo, imaterial, sem sentido

Não sinto saudades do que nunca tive,

Não sofro nada se nem estou vivo.

Sou apenas um deambulante com destino surreal

que aparenta ser vivo e normal.

Mas eu não sou a definição da realidade,

sou só um ser humano a tentar desvendar a verdade.

 

E quem sou eu p'ra me encontrar?

Se o mundo inteiro não é lugar.

E quem és tu p'ra desvendar

o que está p'ra além do meu olhar?

E quando chego ao infinito?

Quando terminará este conflito?

Quando terei paz no coração,

Sem ser mais um vivo sem definição?

 

Imagino-me transparente,

um fantasma neste mundo, sem corpo e sem mente.

Livre de amar todas as histórias que conto...

... as fantasias que invento...

Podia ser um livro aberto com as folhas em branco

e as páginas queimadas em cada canto.

Sem perguntas p'ra fazer e sem respostas p'ra dar

seria apenas uma corrente de ar.

 

Por isso vivo perdido,

Tenho muito p'ra dizer e nada p'ra contar.

Não sinto saudades nem nunca sentirei,

Não sofro nem nunca sofrerei.

Sou apenas um deambulante com destino surreal

sou tanto o bem como o mal.

Sou instável, tenho a realidade intermitente.

Não sou igual nem sou diferente.

 

Tenho a vida escrita na mão

onde cada frase é uma interrogação.

As linhas estão tortas e sobrepostas...

 

... Será que devo saltar?...

 

...

 

E quem sou eu p'ra me encontrar?

Se o mundo inteiro não é lugar.

E quem és tu p'ra desvendar

o que está p'ra além do meu olhar?

E quando chego ao infinito?

Quando terminará este conflito?

Quando terei paz no coração,

Sem ser mais um vivo sem definição?


Sou apenas uma questão!


Música do Dia: Protest The Hero - C'est La Vie (2011)


Fonte da imagem, clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:09


No final do dia, sobra sempre uma ideia para conversar e refletir. Zé Consciência

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Comprem aqui o álbum Mar (Hino À Esperança) EP


calendário

Outubro 2013

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Crónicas Videojogos