Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Tráfico de sintomas

por Blogs Zé Consciência, em 08.10.13

Já uma vez fiz um post sobre o álcool, mais ou menos quando comecei a escrever no Pensamento do Dia.

Ora, já foi há... mais de cinco meses.

"Oh tempo, não vás embora! Anda cá para os meus braços!"

Enfim!...

Os meus caros leitores já ouviram certamente nomes como, marijuana, metanfetamina, haxixe, ecstasy, cocaína, LSD, cogumelos mágicos, heroína, ópio... E a lista continua.

Isto são drogas, ou seja, substâncias que provocam variados sintomas e que, basicamente, destroem o nosso corpo pouco a pouco.

Defenindo numa só palavra, as drogas são MÁS.

Mas por alguma razão, ainda existem milhares de pessoas a consumirem estes produtos.

As drogas mais vendidas são o tabaco e o álcool, que, tal como as outras, também causam sintomas e destroem o corpo. Mas como são legais já não tem problema.

A questão é esta: Porque é que continuam a existir pessoas que consomem estes produtos?

Algumas são por vício, porque as drogas causam dependência, apesar de eu não ter a certeza se é mesmo a droga ou se são os sintomas que causam essa dependência.

Isto dos sintomas também tem que se lhe diga. Chamam-lhe moca, porque soa menos mal.

Se eu disser que estive a alucinar e que vi o Mickey a convidar-me para ir andar de foguetão até à lua dos doces, prendem-me num manicómio. Mas se eu disser que apanhei uma moca onde vi o Mickey, o foguetão e a lua dos doces, riem-se e partilham também as suas histórias coloridas e imaginativas.

Ou seja, sintomas soa muito mal, mas moca dá vontade de rir...

Ok, tenho uma nova ideia! Vou para a rua vender a minha nova droga: Fogo.

Podemos mesmo dizer que será o novo grito (se é que me entendem).

Já estou a imaginar:
"Epá, o que tens aí?"

"Olha tenho branca, cogumelos (e passa um polícia) com arroz e frango... (o polícia vai-se embora) axe, ex..."

"Népia, queria algo mais forte!"

"Epá, tenho fogo."

"Fogo?! O que é isso?"

"Olha, é uma nova cena, que dá uma moca do caraças! Quanto mais tempo tomares maior é a moca."

"Eeeehhhh, mostra lá essa cena!"
Depois tiro um isqueiro do bolso e acendo-o...

"O que é isso?!"

"Isto é a amostra! Pensavas que te ia dar já a moca de segundo grau?! Levas a amostra e depois, se quiseres mais, pagas! Mas aviso-te que esta cena é forte!"

Será que tinha sucesso? É que funciona da mesma maneira! Provoca sintomas e destrói o corpo, apesar de ter uma moca muito mais rápida. E, pensando bem, há mais uma característica em comum com as drogas... Nós já sabemos antes de experimentar que faz mal.

Mas olhem, ao menos esta é legal!... 


Música do Dia: Missy Elliott - Get Ur Freak On (2001)


Fonte da imagem, clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:17


2 comentários

De Artur Santos a 10.10.2013 às 01:04

É razoável o estar preocupado com a toxicidade. Até pensamos que tudo o que ingerimos pode estar contaminado com um qualquer princípio activo de infecção.Umas mais fundamentadas que outras mas mesmo assim as suficientes para sermos atentos se é que isso vai servir de alguma coisa.Sobre isso,mais displicentemente,com uma leveza que não traduz o grave dos malefícios traduzidos em sofrimentos que não podem ser questionados.
Nos jóvens em fase de adolescência com aquele espírito de afirmação dos desejos que todos conhecemos,invoca-se amiúde as más companhias a justificarem os comportamentos inadequados.Depois aparece o livre-arbítrio e todos ou quase todos desejam experimentar novas sensações e,fazem-no.Haverá um clima hostil principalmente no seio da própria família.Mas esse clima alonga-se a todos quantos os rodeiam,proporcionando uma ideia assustadora de alguns vínculos que unem as pessoas.
São desclassificados até pelos próprios pais e amigos que fazem graça sobre eles,inculcando-lhes o desejo de fugirem de todo aquele negativismo e,procurarem estados de relaxamento através das drogas,mais fracas no princípio,mas aumentando a toxicidade daí para a frente.Passa a um estado em que é caricaturado,como uma brincadeira inócua e normal nestas circunstâncias.
A pergunta que fica depois de retiradas todas as conclusões, é porque o vitimizado não se revolta? Basicamente porque o uso de muitos produtos tóxicos cria dependência ,euforias breves e,grandes ressacas.As relações demasiado tóxicas,moem muito,não há dúvida,mas julgo que raramente matam...

De Blogs Zé Consciência a 10.10.2013 às 01:33

As drogas criam um exagero da existência num mundo fantástico e relaxado livre de pressões. Penso que seja isso o que muitos procuram, só que vão buscar ao sítio errado, infelizmente.

Comentar post



No final do dia, sobra sempre uma ideia para conversar e refletir. Zé Consciência

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Comprem aqui o álbum Mar (Hino À Esperança) EP


calendário

Outubro 2013

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Crónicas Videojogos