Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Todas chamam os bombeiros!

por Blogs Zé Consciência, em 04.01.14

 

Por esta altura já todos ouviram falar do famoso calendário dos Bombeiros Sapadores de Setúbal, que apresenta membros do mesmo em tronco nú e em poses sensuais.

Sendo eu um heterossexual admitido, este calendário não me despertou qualquer interesse.

No entanto, está já publicada outra notícia de que as vendas deste produto terão de ser suspensas por existirem demasiados pedidos.

A sua página do Facebook já conta com 23.075 Gostos e muitos perguntam quando voltarão a estar à venda os famosos calendários.

Afinal de contas, estã a recomeçar as rotinas habituais de trabalho e as pessoas precisam de organizar as suas vidas!...

Será mesmo por isso?

Há pessoas que acham estranho o calendário estar a esgotar, mas eu acho perfeitamente natural.

Chamo agora os meus caros leitores, homens, para pensarmos nisto: Nós temos GQ, Maxmen, Maxim, FHM, Penthouse e (a mais conhecida) Playboy.

Se nada disto existisse, falar de revistas masculinas seria falar de revistas desportivas, de tecnologia e de carros.

Pois, esta é a realidade das mulheres. Eu não conheço nenhuma revista que se foque na mulher como público alvo, sem ser revistas de boatos para fofocas, culinária, costura e decoração.

Isto acontece, porque a sociedade cresceu com a ideia de que a mulher não tem o mesmo interesse pelos homens que este por elas.

O homem vê uma mulher e fica louco, repara em todos os detalhes do seu corpo, aprecia-a como uma obra de arte quase divinal.

E a mulher? Será que também repara no homem desta forma?

Poucas admitem isso, mas eu apenas posso supor que sim.
Se vendessem calendários com enfermeiras sensuais, não teria interesse em gastar dinheiro nisso, tendo em conta a enorme quantidade de produtos que vendem o corpo feminino para prazer das fantasias masculinas (atenção, tudo isto de livre vontade das mulheres!). E isto é cada vez mais visto de forma natural.

"Os homens são mesmo assim."

Mas se vivesse numa realidade onde fosse tabu demonstrar que as mulheres são atraentes para mim, e se não existisse nada mais a não ser revistas desportivas, de tecnologia e carros, então atirava dinheiro para o monitor do computador até me aparecer o calendário em casa!

Caros leitores (homens), ponham-se no lugar das mulheres...

É assim tão estranho que o calendário tenha esgotado?

 

Música do Dia: Led Zeppelin - Whole Lotta Love (1969)

 

Fonte da imagem, clique aqui

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:21


5 comentários

De Inês - Desenhos e Desenhos a 05.01.2014 às 14:57

Primeiro que tudo o calendário é para uma causa nobre... não para o prazer das mulheres... mas sim para angariar fundos para uma instituição de solidariedade.
Mas tens toda a razão, há um leque de revistas para vocês homens. Mas para as mulheres não, por isso quando aparece qualquer coisinha, talvez as mulheres se soltem mais.
Eu, como mulher, fiquei muito contente com os nossos amigos bombeiros sempre tão disponíveis a fazer tudo por uma causa nobre, junta-se o útil ao agradável (só podia dar bom resultado)!

De Blogs Zé Consciência a 06.01.2014 às 02:13

Se isto é para uma causa nobre e não para o prazer das mulheres, consegues imaginar o Papa a fazer um calendário deste género para angariar fundos? :p
Sim, a razão principal razão da criação deste calendário é a angariação de fundos, mas o meio escolhido para chegar lá é centrado no público feminino. :)

De Inês - Desenhos e Desenhos a 06.01.2014 às 13:23

Bem...existe um calendário com padres... mas que eu saiba as receitas não são para uma instituição de solidariedade.
Mas como eu disse, juntando o útil ao agradável... só podia dar bom resultado!

De Artur Santos a 06.01.2014 às 00:45

Talvez se pense que este meu comentário não tem nada a ver com essa tua trilogia sobre sonhos,realidades e tenções.Eu posso estar errado,mas relacionei essas emoções:onírica e vígil,portanto vem a propósito
O que tenho para dizer é que ciclicamente vem à baila a educação sexual.Julgo que todos estamos de acordo que as crianças devem saber mais sobre si e,do que se reveste a sexualidade:as formas,as expressões os danos que pode causar,as ligações com emoções e sentimentos e tudo o mais que se liga ao longo de todo o processo de desenvolvimento,mas verificamos que é difícil e enigmático,porque não conseguimos os nossos desígnios convenientemente. É uma temática difícil e perigosa. No fim verificamos que são os mais velhos que baralham tudo.São eles que consomem prostituição e pornografia,que se envergonham quando têm disfunções sexuais,baralham as suas vidas e as dos outros em torno de constrangimentos que aparecem amiúde,que fazem juízos de valor abusivos sobre a sexualidade dos outros,projectando massivamente os seus próprios fantasmas. E hoje pensamos nós que os adultos de agora não foram de maneira nenhuma educados formalmente,pois no seu tempo a sexualidade significava tabú,devia ser reprimida,que servisse única e simplesmente funções sociais úteis: a procriação,família e propriedade. Nada disto se coaduna com o que dá para ver hoje,que é exagerado. Mas noutro sentido devia ser pensado começar pela alfabetização dos actuais adultos pois por muito dispendioso que fosse,ganhava-se alguma coisa.
Sobre a música,fiquei encantado com as execuções instrumentais.Não sei o que pensas,mas disso sabes tu.Lembrei o HARRISON dos BEATLES.

De Blogs Zé Consciência a 06.01.2014 às 02:22

A sexualidade sempre foi um grande tabu.
Seja por razões religiosas, médicas ou éticas.
Começou por ser um pecado, para depois ser um desrespeito e finalmente um perigo para a saúde.
A sexualidade é um ato sujo que envolve prazer descontrolado. E muita gente não tolera bem a sujidade e o descontrolo, porque num torna-mo-nos pessoas imundas e noutro sujeita-mo-nos a ser controlados por outros.
Talvez seja esta dualidade entre o sujo e o descontrolo envolvido num prazer considerado ilusório, que repele a sociedade para o ato em si.
Para muitas pessoas ainda é repugnante que um homem se sinta atraído por uma mulher bonita que passe por si, não compreendendo que é um instinto natural.
Acima de humanos, nós somos animais. E julgamos que escondendo os nossos instintos nos afastamos mais desse escalão, quando na verdade nunca sairemos dele.
Os animais têm relações e muitos deles só por prazer, sem pensarem na procriação.
Para quem aceita que a sexualidade é um ato normal, será que é esta sujidade e este descontrolo que atrai muita gente para o ato?
É uma dualidade.

Comentar post



No final do dia, sobra sempre uma ideia para conversar e refletir. Zé Consciência

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Comprem aqui o álbum Mar (Hino À Esperança) EP


calendário

Janeiro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Visitantes


Crónicas Videojogos